26 de abril de 2016

JANOT APONTA 11 MOTIVOS PARA AFASTAMENTO DE CUNHA

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enumerou em petição ao Supremo Tribunal Federal 11 motivos para o “necessário e imprescindível” afastamento do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do mandato de parlamentar e de líder da Casa. O documento foi entregue ao STF em dezembro de 2015, mas a Corte ainda não tomou uma decisão.

Na sexta-feira passada, após participar de uma palestra na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Janot disse acreditar que não deve demorar para que o futuro do presidente da Câmara seja definido.“Nós enviamos várias denúncias contra ele e mais duas devem ser consideradas em breve pelo Supremo. Não podemos admitir que o terceiro homem na linha sucessória tenha um passado como o dele”, afirmou.

O pedido de afastamento entregue por Janot ao Supremo traz um capítulo intitulado “Dos atos que visaram embaraçar e impedir a investigação de organização criminosa”. Nele, o procurador aponta as 11 razões que, em sua avaliação, justificam o afastamento de Cunha.

RN REGISTRA MAIS DE 29 MIL CASOS PROVÁVEIS DE DENGUE EM 2016

O Rio Grande do Norte apresenta o segundo maior número de casos prováveis de dengue, para cada 100 mil habitantes, do Brasil. Foram registrados 29.501 casos no Estado, somente este ano, o que representa 857 ocorrências para cada grupo de 100 mil habitantes.

Os dados foram apresentados, nesta terça-feira (26), em boletim divulgado pelo Ministério da Saúde e levam em consideração o período entre os dias 3 de janeiro e 2 de abril deste ano.

No Rio Grande do Norte, este ano, foram registrados três casos de dengue com sinais de alarme e um óbito foi confirmado. Os números são superiores aos registrados no mesmo período de 2015, quando 18 pessoas tiveram sinais de alarme e duas morreram em decorrência da doença.

Cinco municípios potiguares estão entre as cidades com as maiores taxas de incidências no mês de fevereiro. Os dados são analisados por estrato populacional em relação ao número de habitantes (menos de 100 mil habitantes; de 100 a 499 mil; de 500 a 999 mil; e acima de 1 milhão de habitantes).

Entre as cidades com população inferior a 100 mil habitantes, os municípios de Guamaré (16.756,6 casos/100 mil hab.), Campanário (14.063,8 casos/100 mil hab.), Cruzeta (12.567,4 casos/100 mil hab.) e Parelhas (6.000,1 casos/100 mil hab.) se destacam nacionalmente. Já a capital do Estado, Natal, ficou entre as cinco com maiores índices do país (702,6 casos/100 mil hab.), dentre as cidades com população entre 500 e 999 mil habitantes.

Ao todo, foram registrados 802.429 casos prováveis no Brasil, sendo 140 mortes confirmadas em decorrência de infecção pelo vírus da dengue. No mesmo período do ano passado, foram registrados 705.231 casos prováveis de dengue.

DILMA ATACA O GOLPE: QUEM ME JULGA É CORRUPTO

Ao entregar as chaves de 2,8 mil residências na Bahia, nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff fez mais um discurso contra o golpe parlamentar que enfrenta e bateu duro no parlamentar que conduz o processo; "Quem me julga é corrupto.

Esta pessoa que preside a Câmara dos Deputados todo mundo sabe que tem contas no exterior", disse ela, referindo-se ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Dilma afirmou ainda que está sendo julgada por ter feito uma opção pelos mais pobres; "Meu governo fez uma opção pelo Minha Casa, Minha Vida, pelo Bolsa Família, pelo Mais Médicos, pela Lei de Cotas", afirmou, pontuando ainda que Michel Temer tem a intenção de reduzir o alcance de programas sociais.

Em sua fala, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou que pesquisas feitas no estado revelam grande desaprovação popular ao impeachment; “Estamos com o seu governo, com muito orgulho”, disse Rui; “A senhora lidera o maior programa habitacional que a Bahia já viu.”

FERNANDO BAIANO DIZ: “EU, PESSOALMENTE, ENTREGUEI R$ 4 MILHÕES”A CUNHA

Um dos principais lobistas do País, Fernando Baiano depôs hoje diante do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados e confirmou ter pago propina ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Eduardo Cunha foi o principal responsável pela condução do golpe parlamentar que pode afastar a presidente Dilma Rousseff e colocar no poder o vice-presidente Michel Temer.

Na manhã desta terça-feira, na Bahia, a presidente Dilma Rousseff, explorou esse paradoxo: “quem me julga é corrupto”; apesar da tonelada de acusações contra si, Cunha vem conseguindo preservar seu mandato, embora tenha imposto rito sumário ao impeachment da presidente Dilma.

RENAN: LULA QUER COLABORAR COM SAÍDAS PARA A CRISE

O ex-presidente Lula e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) conversaram neste terça (26), por cerca de 90 minutos, na residência oficial do Senado, em Brasília.

"Ele disse que acredita muito no Brasil, que o Brasil é maior do que as suas crises, e que ele quer colaborar com saídas", relatou o senador; em resposta, Renan afirmou que reforçou o papel histórico do Senado e o seu esforço pessoal para ampliar a previsibilidade política e constitucional para que a Casa julgue a presidente Dilma Rousseff.

"Ao fim e ao cabo [disse] que seria uma decisão política, claro, mas que seria uma decisão de mérito com relação a saber se a presidente cometeu ou não crime de responsabilidade", afirmou; o presidente do Senador participa de uma série de reuniões entre hoje e amanhã.

Ele também se encontrou com a presidente Dilma Rousseff ainda nesta terça; amanhã, ele visitará o vice-presidente Michel Temer e receberá o senador Aécio Neves (MG) em seu gabinete; "Conversar não arranca pedaço", disse.

JANOT ATRIBUI A ZÉ AGRIPINO 'ESTRATÉGIAS DE LAVAGEM DE DINHEIRO'

Ao requerer ao Supremo Tribunal Federal (STF) a quebra do sigilo bancário e fiscal de José Agripino Maia (DEM/RN), presidente nacional do Democratas, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, atribuiu ao senador ‘estratégias de lavagem de dinheiro’.

Em manifestação de 18 páginas entregue ao ministro Luís Roberto Barroso, o procurador assinalou que ‘no curso do complexo investigatório denominado Operação Lava-Jato, colheram-se elementos que apontam no sentido da solicitação e do recebimento, de forma oculta e disfarçada, de vantagens pecuniárias indevidas por parte do senador’.


O afastamento do sigilo de Agripino, um dos principais e mais ferrenhos opositores do governo Dilma no Senado, foi acolhido pelo ministro Barroso. O ministro autorizou, ainda, o afastamento do sigilo de dados bancários e tributários de empresas e de familiares de Agripino, inclusive um filho dele, o deputado Felipe Maia (DEM/RN).

Segundo o procurador-geral da República, o suposto repasse de propinas ao presidente do DEM teria ocorrido no âmbito da parceria público-privada relativa à construção pelo grupo empresarial OAS, da Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil.

Janot afirma que ‘os elementos constantes dos autos indicam que os fatos se relacionam a complexo esquema de recebimento e repasse de valores ilícitos para várias pessoas, mediante a utilização de diversas empresas, com a finalidade de ocultar a origem e o destino final dos recursos envolvidos’.


Janot ressalta existência de ‘indícios suficientes’ da prática de crimes como corrupção passiva e lavagem de dinheiro. "Há fundadas razões para a quebra de segredo de dados. Nesse contexto, para desvendar as particularidades das estratégias de lavagem de dinheiro possivelmente adotadas pelo senador José Agripino Maia, cumpre afastar os sigilos fiscal e bancário do parlamentar e dessas pessoas físicas e jurídicas."

O período do afastamento de segredo, a pedido de Janot, vai abranger os anos de 2010 - um ano antes dos fatos, o que é relevante para fins de fixação de parâmetros e verificação de compatibilidade da evolução patrimonial dos envolvidos - até 2015, um ano depois dos fatos, ’em face do caráter permanente do delito de lavagem de dinheiro’.


Em nota, Agripino disse: "as providências requeridas vão acelerar o processo de esclarecimento dos fatos investigados. Tenho certeza que tornarão clara a improcedência da acusação que me é feita, de conduta irregular na construção da Arena das Dunas."


"A quebra dos meus sigilos fiscal e bancário, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, contribuirá para esclarecer em definitivo os fatos investigados e comprovará a falta de fundamento e consistência das acusações feitas contra o senador José Agripino e pessoas ligadas a ele", destacou o deputado Felipe Maia.

ATOR UMBERTO MAGNANI, O PADRE DE 'VELHO CHICO', TEM AVC E ESTÁ EM COMA

O ator Umberto Magnani, de 75 anos, passou mal nesta segunda-feira, 25, antes das gravações de cenas de "Velho Chico". Para o G1, a Comunicação da Globo explicou que o ator recebeu os primeiros socorros no local e foi levado para o hospital.

Segundo informações da filha do ator, Ana Júlia, Umberto sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) e, na manhã desta terça-feira, 26, seguia internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ana Júlia disse ao EGO que o pai entrou em coma.

"Ele passou mal e teve uma parada cardíaca. Ele passou por uma cirurgia de seis horas. O médico deu 48 horas para ele acordar", explicou. Ana Julia contou ainda que seu irmão, Beto Magnani, está acompanhando o pai no hospital. "Agora é só orar. A gente se apega a Deus, mas é muito difícil ele sair e não ter sequelas", falou emocionada.

O Hospital Vitória informou, no começo desta tarde, que não vai divulgar nenhum boletim médico com o estado de saúde de Umberto. Entre as novelas de Umberto Magnani na Globo, o ator atuou em "Laços de Família", vivendo o personagem Eládio, "Presença de Anita", como Eugênio, "Mulheres Apaixonadas", como Argemiro Batista, "Páginas da Vida", sendo Zé Ribeiro.

FHS AVISA: VÊM AÍ MAIS IMPOSTOS E MENOS GASTO SOCIAL

Um dos principais apoiadores do impeachment, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso reitera que a presidente Dilma Rousseff é honesta, mas deve sair por ser vítima de "um processo político",

Ele diz ainda que o PSDB tem obrigação de aderir ao eventual governo de Michel Temer, inclusive com cargos, por ter ajudado a derrubar Dilma.

Sobre o futuro, ele diz que a sociedade terá que inevitavelmente aceitar mais impostos e menos gastos sociais; ele também sinalizou que o PSDB poderá ficar a reboque do PMDB, ao dizer que Temer terá todo o direito de disputar a reeleição; "É bom para o PSDB? Não, o PSDB quer ir direto para o governo, mas se Temer for bom, e o Brasil quiser isso."

QUEM TEM MEDO DAS DIRETAS?

A pesquisa IBOPE, mostrando a preferência de 62% dos entrevistados por uma nova eleição e o apoio de apenas 8% a Michel Temer como solução para a crise, levou água para o igarapé das eleições diretas, um terceiro caminho entre o impeachment sem base jurídica e a posse de um presidente sem legitimidade.

A reação do PMDB foi imediata. 'Golpe seria convocar nova eleição. Isso sim, seria uma artimanha, uma manobra diversionista para melar o jogo', disse na noite desta segunda-feira, no programa Roda Viva (TV Cultura), o senador Romero Jucá", aponta a colunista Tereza Cruvinel; segundo ela, "quem tem medo das diretas é quem não tem voto nem candidato"; se as eleições fossem hoje, segundo turno seria disputado entre o ex-presidente Lula e a ex-senadora Marina Silva.

DILMA CHAMA CUNHA DE CORRUPTO E TEMER DE GOLPISTA

Em discurso no qual confrontou diretamente o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, quem chamou de corrupto, a presidente Dilma Rousseff se dirigiu também ao vice Michel Temer, que, segundo ela, dá "um golpe nos brasileiros".

"Esse impeachment que é golpe, na verdade ele é uma tentativa de fazer uma eleição indireta, por aqueles que não têm voto. Se eles querem chegar ao poder e não tem crime, só tem um caminho: ganhe o voto. Vão pra frente do povo e digam o que vocês querem. Mas eles não dizem, porque o que eles querem é sentar na minha cadeira, mas sem voto. É claro que isso é muito confortável", afirmou Dilma em Salvador, em cerimônia do Minha Casa, Minha Vida.

TEMER JÁ DEFINIU SEU PRIMEIRO ESCALÃO

Antes mesmo de ser confirmado presidente pelo Senado, o vice Michel Temer praticamente definiu qual será sua equipe, caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada temporariamente do cargo.

A confirmação mais importante veio com Henrique Meirelles, na Fazenda; além dele, Temer escalou três de seus auxiliares mais próximos para postos chave.

Eliseu Padilha na Casa Civil, Romero Jucá no Planejamento e Moreira Franco na Infraestrutura; para a Educação, José Serra deve aceitar o cargo, mesmo enfrentando resistências no PSDB; Paulo Skaf, da Fiesp, é o mais cotado para o Desenvolvimento, que está acima do BNDES; além deles, Ricardo Barros deve ir para a Saúde e Henrique Alves voltaria para o Turismo.

DILMA ATACA O GOLPE: QUEM ME JULGA É CORRUPTO

Ao entregar as chaves de 2,8 mil residências na Bahia, nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff fez mais um discurso contra o golpe parlamentar que enfrenta e bateu duro no parlamentar que conduz o processo; "Quem me julga é corrupto. 

Esta pessoa que preside a Câmara dos Deputados todo mundo sabe que tem contas no exterior", disse ela, referindo-se ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ); Dilma afirmou ainda que está sendo julgada por ter feito uma opção pelos mais pobres; "Meu governo fez uma opção pelo Minha Casa, Minha Vida, pelo Bolsa Família, pelo Mais Médicos, pela Lei de Cotas", afirmou, pontuando ainda que Michel Temer tem a intenção de reduzir o alcance de programas sociais.

Em sua fala, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou que pesquisas feitas no estado revelam grande desaprovação popular ao impeachment; “Estamos com o seu governo, com muito orgulho”, disse Rui; “A senhora lidera o maior programa habitacional que a Bahia já viu.”

ANASTASIA É ELEITO RELATOR DA COMISSÃO DO IMPEACHMENT DO SENADO

A comissão especial do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT) no Senado elegeu nesta terça-feira (26) seu presidente e relator.

A eleição para a presidência foi por aclamação e ficou com o senador Raimundo Lira (PMDB-PB). Já a eleição para a relatoria gerou mais de duas horas de debates entre os senadores, mas acabou sendo confirmado o nome do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), eleito com cinco votos contrários. As bancadas do PT, PCdoB e PDT foram as únicas a encaminhar votos contra Anastasia como relator.

Após ser confirmado como relator, Anastasia prometeu "serenidade" e "debate" no exercício da função. "Deus me concedeu o dom da serenidade. E essa serenidade servirá muito, juntamente com meu senso de responsabilidade, que sempre caracterizaram meu trabalho nas funções públicas que exerci, para desempenhar aqui as funções de relator. Escutando, ouvindo, debatendo, aberto de maneira extremamente democrática", declarou.

A escolha do tucano para a relatoria aconteceu após diversas manifestações contrárias de parlamentares governistas, que tentaram impedir Anastasia de assumir o cargo alegando que ele, por ser do PSDB, não teria isenção para elaborar o parecer sobre o pedido de impeachment contra Dilma. Ele também é aliado e ex-coordenador de campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

SENADO ELEGE A COMISSÃO ESPECIAL QUE VAI ANALISAR O PEDIDO DE IMPEACHMENT

Em votação simbólica, presidida pelo Senador Renan Calheiros (PMDB-AL) o Senado Federal elegeu os nomes dos indicados pelos partidos para compor a comissão especial que analisará a denúncia de crime de responsabilidade contra a presidente da República, Dilma Rousseff, conforme autorização decidida pela Câmara dos Deputados.

Como maior partido, o PMDB tem direito a cinco vagas de titular e igual número de suplentes. Foram indicados titulares os senadores Raimundo Lira (PB), Rose de Freitas (ES), Simone Tebet (MS), Dário Berger (SC) e Waldemir Moka (MS). Como suplentes, foram indicados pelo líder peemedebista Eunício Oliveira (CE), Hélio José (DF), Marta Suplicy (SP), Garibaldi Alves (RN), João Alberto Souza (MA). Indicado inicialmente, o senador José Maranhão (PB) recusou a indicação e o partido ainda não escolheu um substituto.

Pelo bloco da oposição, composto por PSDB, DEM e PV, foram indicados os senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP), Antônio Anastasia (PSDB-MG), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), como titulares como suplentes os nomes escolhidos foram Tasso Jereissati (PSDB-CE), Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Paulo Bauer (PSDB-SC) e Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Pelo bloco de apoio ao governo, formado por PT e PDT, os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Telmário Mota (PDT-RR), como titulares e Humberto Costa (PT-PE), Fátima Bezerra (PT-RN) e João Capiberibe (PSB-AP) como suplentes. O PT cedeu uma vaga de suplência ao PSB.

Já o bloco formado por PSB, PPS, PCdoB e Rede indicou os senadores Fernando Bezerra (PSB-PE), Romário (PSB-RJ) e Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM), como titulares, e Roberto Rocha (PSB-MA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Cristovam Buarque (PPS-DF) como suplentes.

O bloco formado por PTB, PR, PSC, PRB e PTC, indicou como titulares Wellington Fagundes (PR-MT), Zezé Perrella (PTB-MG) e Eduardo Amorim (PSC-SE) e Magno Malta (PR-ES) como suplentes. O bloco formado por PP e PSD indicou os senadores José Medeiros (PSD-MT), Ana Amélia Lemos (PP-RS) e Gladson Cameli (PP-AC). Como suplentes foram indicados Otto Alencar (PSD-BA), Sérgio Petecão (PSD-AC) e Wilder Moraes (PP-GO).

25 de abril de 2016

DILMA AVALIA POSSIBILIDADE DE ANTECIPAÇÃO DAS ELEIÇÕES

Presidente Dilma Rousseff avalia a possibilidade de antecipar as eleições presidenciais para este ano mesmo que venha a ganhar a batalha do impeachment no Senado.

Avaliação é que as condições de governabilidade seriam as piores possíveis caso ela venha a ser afastada temporariamente por 180 dias, mesmo que reassuma em seguida.

PT, porém, defende que a iniciativa seja debatida publicamente imediatamente após o Senado decidir pela abertura do processo de impeachment.

SENADO DEVE DECIDIR NO DIA 12 SE AFASTA DILMA

O plenário do Senado deve votar no dia 12 de maio a admissibilidade do impeachment contra a presidente Dilma, calcula o futuro presidente da comissão especial que analisará o tema na Casa, em votação que resultará no afastamento imediato da presidente por até 180 dias, caso seja aceita a denúncia.

Nesta segunda-feira, os 21 titulares e 21 suplentes da comissão especial serão eleitos pelo plenário; segundo o senador Raimundo Lira (PMDB-PB), na manhã da terça (26) ocorrerá a eleição do presidente da comissão cargo para o qual ele foi indicado por pertencer à maior bancada da Casa, e a escolha do relator.

LULA: QUADRILHA IMPLANTOU O CAOS NO BRASIL

"Uma verdadeira quadrilha legislativa implantou a agenda do caos", disse o ex-presidente Lula, nesta manhã, ao fazer sua primeira manifestação pública após a aprovação do processo de impeachment, que ele definiu como "um gesto claro de vingança" de Eduardo Cunha.

Lula disse ainda que um governo Michel Temer trará de volta uma agenda derrotada nas urnas; "A oposição derrotada por quatro vezes optou por uma atitude golpista, para voltar ao poder (…) voltar com a agenda neoliberal"; como Lula estava muito rouco, seu discurso foi lido por Luiz Dulci; ele também afirmou que o golpe "envergonha o Brasil aos olhos do mundo."

EDUCAÇÃO E MEIRELLES TERÁ A FAZENDA (SE TEMER ASSUMIR, CLARO)

Foi resolvido, nas últimas horas, o impasse que mantinha indefinida a equipe do eventual futuro governo Michel Temer.

O senador José Serra (PSDB-SP), que pretendia comandar a área econômica, aceitou o convite para assumir a Educação, o ministério com o maior orçamento federal,

Com isso, Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central nos oito anos governo Lula, deve assumir a Fazenda, podendo indicar também o nome do chefe do Banco Central.

ELEIÇÃO PRESIDENCIAL JÁ: “O POVO DECIDE”

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) reitera que a solução mais adequada para a crise política e econômica que assola o País é a convocação de novas eleições gerais para presidente,

Segundo Requião, embora "pedaladas fiscais" não configurem crime de responsabilidade para retirar a presidente Dilma Rousseff, ela inviabilizou-se por falta de confiança da maioria da população; "Mas é muito mais estranho e ilegítimo termos um novo governo que assume sem compromissos com o povo. Sem dizer explicitamente para onde vai. Sem o consenso popular", afirma; "Só há uma solução: uma nova eleição.

A proposta é que a presidente da República mande ao Congresso Nacional uma emenda constitucional antecipando as eleições, por exemplo, para outubro deste ano. Daí os partidos se mobilizam, teremos candidatos e os candidatos vão ter que dizer o que pretendem fazer. (...) Daí é o povo que vai dizer, o que quer para o Brasil."

CANTOR BILLY PAUL, MORRE AOS 81 ANOS NOS ESTADOS UNIDOS

Morreu neste domingo (24) nos Estados Unidos, aos 81 anos, o cantor Billy Paul, um dos maiores nomes da música soul americana. A informação foi publicada no site oficial do artista. Billy Paul estava com câncer e morreu em casa, no estado de Nova Jersey.

O cantor ficou conhecido no mundo todo pela voz grave e marcante e por sua contribuição para o desenvolvimento do rythm and blues moderno.

Nascido Paul Williams em 1º de dezembro de 1934 em Filadélfia, Billy Paul começou a carreira com apenas 11 anos. Na juventude, o cantor se apresentava em clubes e universidades ao lado de várias lendas do jazz e do soul, incluindo Charlie "Bird" Parker, Nina Simone, Miles Davis e Roberta Flack.

Um dos maiores sucessos de Billy Paul é "Me and Mrs Jones", de 1972. A canção foi número um na "Billboard Hot 100 e R&B" e recebeu um Grammy.

A música é sobre uma aventura extraconjugal e foi regravada por vários artistas, como a dupla Hall and Oates e o crooner Michael Buble.O primeiro álbum de Billy Paul, "Fellin' good at the Cadillac Club" foi lançado em 1968. Ao todo, Paul lançou 15 discos entre 1968 e 1988.

STF INVESTIGA UM TERÇO DE COMISSÃO DE IMPEACHMENT DO SENADO

Dos 21 parlamentares indicados para a comissão do impeachment no Senado, mais de um terço responde a inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Dos oito senadores com processos, quatro deles integram a lista dos políticos investigados pela Operação Lava Jato. Antes de levar o caso ao plenário da Casa, o grupo será responsável por analisar a denúncia contra a presidente Dilma Rousseff acolhida na Câmara no último dia 17.

Indicados para a presidência e relatoria da comissão, os senadores Raimundo Lira (PMDB-PB) e Antonio Anastasia (PSDB-MG) ficaram de fora desta lista. Em fevereiro, o STF arquivou um inquérito que investigava a suposta participação do tucano na Lava Jato. Já Gleisi Hoffmann (PT- PR), Lindbergh Farias (PT-RJ), Fernando Bezerra (PSB-PE) e Gladson Cameli (PP-AC) são os senadores investigados por suposto envolvimento na corrupção na Petrobras. Lindbergh é o que responde ao maior número de processos na Corte: cinco.

Gleisi, que foi ministra da Casa Civil no primeiro mandato de Dilma, é alvo de dois procedimentos. Ela também foi citada na delação do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS). Em março, a Polícia Federal indiciou a senadora e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, por suposto recebimento de R$ 1 milhão. Lindbergh teria recebido propina desviada da estatal de R$ 2 milhões para financiar a campanha ao governo do Rio em 2014 Além disso, ele é investigado em quatro procedimentos.

O senador Fernando Bezerra, que responde a quatro inquéritos, foi citado na delação do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa por ter recebido R$ 20 milhões na época em que ele era secretário do então governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Cameli é um dos parlamentares do PP relacionados à corrupção da Petrobras. Ele também responde a um processo por dirigir bêbado.


Aloysio Nunes (PSDB-SP) é alvo de um inquérito que está oculto no sistema do STF, em razão de desdobramentos da Lava Jato. Os outros parlamentares da comissão que enfrentam investigações no STF são Simone Tebet (PMDB-MS), Wellington Fagundes (PR-MT) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

MORRE O PRODUTOR DE TV, FERNANDO FARO

Na madrugada desta segunda-feira morreu, aos 88 anos, o produtor musical, jornalista e dramaturgo Fernando Faro. 

Estava internado havia três meses com insuficiência renal e desidratação e não resistiu a uma parada cardiorrespiratória. “Baixo”, como era conhecido entre os amigos (e como também costumava chamar as pessoas), foi o criador de um dos mais geniais programas da televisão brasileira, o ‘Ensaio’.

Fernando Abílio de Faro Santos nasceu em Aracaju, Sergipe, em 21 de junho de 1927. Aos dois anos, com a morte do pai, se mudou com a mãe para Salvador, na Bahia. Veio para São Paulo na juventude, com o objetivo de estudar Direito, no largo São Francisco. Não demorou muito para desistir do curso e ingressar no jornal ‘A Noite’.

Daí passou para o mundo da televisão. Teve passagens pela Globo, Bandeirantes e Record e Tupi. Nesta última produziu, ao lado de Antonio Abujamra, ‘Divino, Maravilhoso’, o único programa tropicalista da TV brasileira.

Ainda na Tupi, Fernando Faro criaria, no final de 1969, o ‘MPB Especial’, formato que levaria para a TV Cultura em 1971. O programa é o embrião do ‘Ensaio’, que iria ao ar na mesma TV Cultura 18 anos depois (na verdade, praticamente uma troca de nome). O ‘MPB Especial’ já trazia as marcas registradas de Faro.

RATINHO CHUTA A CAIXA E ARRUMA ENCRENCA

No último dia 15, durante o ‘Programa do Ratinho’, o apresentador Carlos Massa deu um chute em uma grande caixa de papelão que insistia em se deslocar pelo palco. Dentro da caixa estava a sua assistente de palco, Milene Pavorô. 

O chute, desferido com certa potência, atingiu em cheio a moça, que soltou um grito e, já fora do caixa, mostrou-se um tanto quanto constrangida e chateada. Com cara de quem iria cair no choro, Milene pegou suas sandálias e, cabisbaixa, saiu de cena.

E qual foi a reação de Ratinho? Tentando manter o clima “tranquilo e favorável”, o apresentador soltou a pérola: “Não podemos perder a esportiva”. Em seguida, se dirigiu ao diretor do programa: “O senhor notou que ela é uma funcionária rebelde? Providências terão de ser tomadas… Ela vai pra rua”.

Como já era de se esperar, o incidente rapidamente virou notícia na internet e o apresentador foi alvo de duras críticas por parte de internautas. É aquilo: fogo morro acima, água morro abaixo e indignação nas redes sociais ninguém segura. O principal motivo das críticas dizia respeito à violência contra a mulher. Muitos instavam Pavorô a denunciar Ratinho pela Lei Maria da Penha.

Horas depois do ocorrido, a assistente de palco publicou uma mensagem em seu perfil a fim de serenar os ânimos: “Calma pessoal, foi só uma brincadeira. Ele não sabia que eu estava lá dentro e depois que eu saí ele parou o programa para pedir desculpa. Só que não foi ao ar. Quem conhece o Ratinho de verdade sabe que por dentro daquele homem “durão” tem uma pessoa com um grande coração, incapaz de ferir alguém”.

É certo que Ratinho não tinha a intenção de machucar Milene e que se tratou de uma daquelas brincadeiras sem noção que pululam o programa. Mas ficam algumas questões: o protesto ocorreu por parte de internautas por ser tratar de uma mulher? Se fosse um assistente homem, tudo bem? Chutar uma pessoa, e ainda mais com vigor, é uma “brincadeira.”?

24 de abril de 2016

COMISSÃO DO SENADO: JÁ SÃO 27 OS VOTOS FAVORÁVEIS AO IMPEACHMENT DE DILMA

Dois dos quatro vice-líderes do governo no Senado, Hélio José (PMDB-DF) e Wellington Fagundes (PR-MT), anunciaram nesta sexta-feira, 22, que vão votar a favor do afastamento da presidente Dilma Rousseff.
Em manifestações feitas no plenário da Casa, os dois que são integrantes da comissão especial que analisará o caso e constavam como indecisos no Placar do Impeachment, publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo passaram a defender o voto contra a permanência da petista.

Com essas novas manifestações, dos 42 participantes da comissão entre titulares e suplentes, 27 já se declararam favoráveis, dez contrários, um indeciso, três não quiseram responder e há ainda um voto em aberto o senador José Maranhão (PMDB-PB) deixou a comissão e a quinta indicação do PMDB para a comissão está vaga.

"Eu já antecipo a questão da admissibilidade, porque, para mim, é inequívoco o Senado admitir uma questão que veio da instituição Câmara", disse Hélio José em pronunciamento no Senado. Ele é suplente da comissão a ser eleita na segunda-feira e que começará os trabalhos no dia seguinte.

MICHEL TEMER É TRAIDOR, FUJÃO E COVARDE

"Não há como não caracterizá-lo de traidor. Na hora em que a cabeça de chapa que o elegeu começou a correr perigo ele, em vez de ajudá-la, como cabe a cavalheiros gentis fez o oposto: ajudou a derrubá-la. 

E sem abandonar o seu palácio e sem abrir mão de suas mordomias. E continua traindo até hoje, tentando formar o que seria o seu futuro governo enquanto o atual, do qual ele é o vice, ainda não acabou. Fujão também ele é. Tanto é que, ontem mesmo, quando meia dúzia de gatos pingados armou um protesto na frente de sua casa, ele fugiu, no ato, para Brasília. 

Covarde ele também é, não enfrenta nenhuma situação de frente, nem ninguém, muito menos aquela a quem traiu, que é muito mais corajosa que ele. Tanto é que em vez de dizer na cara dela tudo o que pensa dela ele mandou um correio elegante"; a análise é do colunista Alex Solnik.

EX-SENADOR DO PMDB SE DIZ CHOCADO COM ATUAÇÃO DE TEMER

Nome histórico do PMDB, o ex-senador gaúcho Pedro Simon diz estar "chocado" com a movimentação do vice Michel Temer para formar um governo antes do impeachment da presidente Dilma Rousseff; "Isso que o Temer que está fazendo, de já querer organizar o governo, soa mal. Tinha que ser mais sigiloso, sem estar no jornal.

Não é simpático. Ele está meio isolado. Está vendo que do outro lado vai ser uma guerra, vão fazer o que puder para desgastar. Fico chocado quando vejo o coitado do Temer falando com A, B ou com C, acho que não era por aí", afirma.